A Secretaria da Segurança Pública, por meio da Academia de Polícia Civil (Acadepol), realiza entre os dias 25 e 27 de agosto um Curso de Sobrevivência Policial. A capacitação, que será ministrada por instrutores de uma empresa de Brasília/DF, tem como objetivo desenvolver habilidades dos policiais civis em situações de sobrevivência urbana e formar multiplicadores para docência na área. A iniciativa é realizada em parceria com o Sindicato dos Policiais Civis de Sergipe (Sinpol).

O curso, voltado para 20 alunos policiais civis previamente selecionados, conta com carga horária completa de 24h, divididas em instruções teóricas e práticas, por meio de aulas expositivas e exercícios simulados. Os instrutores responsáveis pelo curso são policiais das Polícias Civil e Federal de Brasília/DF, com vasta experiência na matéria.

Com relação ao Curso de Sobrevivência Policial, o delegado João Batista Santos Júnior, diretor da Acadepol, discorreu sobre a idealização do curso e a relevância desse tipo de treinamento para o policial. “A ideia de realizar um curso na área de sobrevivência policial para formar multiplicadores nasceu da necessidade de se capacitar o maior número possível de policiais para que sejam tecnicamente capazes de dar respostas eficientes e eficazes diante de situações de violência urbana, garantindo sua própria sobrevivência, bem como a de outras pessoas envolvidas na mesma situação”, pontuou.

A abertura do treinamento acontece na sexta-feira, 25, às 8h30, no auditório da Acadepol, e está aberta a todos os profissionais de Segurança Pública que tenham interesse em conhecer a proposta da capacitação. Ao término do curso, os participantes receberão certificado e brevê da empresa realizadora.

Para Adriano Bandeira, vice-diretor da Acadepol, os episódios de violência urbana que vitimizam policiais em seu horário de folga, quando estão mais vulneráveis, é uma realidade crescente no Brasil e aqui em Sergipe não tem sido diferente. “Pretendemos formatar um projeto de multiplicação desses conhecimentos, tanto para policiais civis quanto para os demais agentes públicos operadores de segurança, parceiros da Acadepol, pois temos o entendimento de que o policial precisa se manter vivo e bem treinado para proteger a sociedade”, finalizou.

 

FONTE: ASCOM/SSP/SE