Teve início na manhã de hoje, 14, na Academia de Polícia Civil de Sergipe (Acadepol), a 32ª edição do Curso de Local de Crime, promovido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), em atendimento ao Plano Nacional de Segurança Pública para Sergipe.

O curso, que tem carga horária total de 16 horas-aula, é destinado a policiais civis, militares, guardas municipais e socorristas do SAMU, respeitando as especificidades de ação de cada um desses atores, a fim de que tenham o conhecimento técnico necessário para atuar numa cena de crime de maneira integrada e homogênea, de modo a concorrer para a elucidação do fato delituoso e consequente repressão à criminalidade violenta. No total, serão 60 profissionais de áreas diversas, que normalmente são acionados quando há ocorrência de crimes violentos, capacitados tecnicamente para atuar num local de crime. “Esse tipo de conhecimento é muito importante porque uma cena de crime bem preservada e bem analisada tem maior probabilidade de resultar em um crime elucidado, levando à responsabilização e consequente punição de seus autores”, afirmou João Batista Santos Júnior, diretor da Acadepol.

Noções de perícia em local de crime, relacionamento com a mídia e técnicas de preservação e isolamento de local de crime são algumas das matérias que serão trabalhadas pelo corpo docente do curso, os quais foram orientados a enfatizar sempre a responsabilidade individual e coletiva de cada profissional que atua no local de crime e o processo interativo e cooperativo que deve existir entre eles, em prol de um objetivo comum, que é o deslinde do delito. Para o agente de polícia Adilton da Paz, aluno da capacitação, “a grande relevância desse curso está em reunir os diversos operadores de segurança e SAMU, que podem estar presentes na cena do local de crime, para que todos possam entender o seu papel o do outro no desenrolar das ações e sejam capazes de empregar de forma integrada os procedimentos técnicos fundamentais para que a investigação não seja prejudicada”, pontuou.

Após esse curso, a Acadepol ainda irá sediar, no mês de outubro, o curso de Investigação de Homicídios e Drogas Ilegais, com duração de dez dias. “Tanto o Local de Crime quanto o Investigação de Homicídios e Drogas Ilegais fazem parte das ações do Plano Nacional de Segurança Pública, com ênfase no eixo combate a homicídios. Acreditamos que toda evolução reside na educação. Bons frutos de todo o investimento da Senasp, por meio de sua política educativa de enfrentamento à criminalidade violenta, serão colhidos em breve. Estamos construindo uma segurança pública melhor para todos.”, concluiu Adriano Bandeira, vice-diretor da Acadepol e representante estadual da Senasp.

 

Plano Nacional de Segurança Pública

A proposta do Plano Nacional de Segurança Pública foi lançada pelo Governo Federal em fevereiro deste ano e prevê ações pautadas na integração, coordenação e cooperação entre o governo federal, estados e sociedade, tendo como prioridades a redução do feminicídio e violência contra a mulher, diminuição de homicídios dolosos e combate integrado ao tráfico de drogas e armas.