A Academia de Polícia Civil de Sergipe, em parceiria com o Grupo Especial de Repressão e Busca – GERB,  iniciou, nesta terça-feira, 06, o curso “Introdução a Técnicas Policiais de Cumprimento de Mandados de Alto Risco – CMAR”, o qual objetiva difundir táticas e técnicas de invasões táticas e combate em ambientes confinados, adquiridas pelos operacionais do GERB ao longo de 5 anos de experiência operacional e participação em cursos especializados no Brasil e no exterior.

 

O curso é direcionado a policiais civis que atuam na área operacional de suas respectivas unidades, tendo como público alvo, nesta primeira edição, policiais civis do Departamento de Narcóticos – DENARC. “Com o aumento da criminalidade e dos riscos decorrentes das operações de cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão, sentimos a necessidade de promover a massifição de técnicas e conhecimentos que potencializem tanto a segurança dos policiais, quanto dos demais envolvidos nas operações”, afirmou o delegado João Batista Santos Júnior, diretor da Acadepol.

 

Para o delegado André Baronto, do DENARC, o curso é de grande importância para conferir maior integração entre os policiais que atuam em operações desta natureza e padronização de procedimentos, a fim de minimizar os riscos. “No nosso dia-a dia temos nos deparado com situações cada vez mais complexas, durante o cumprimento de mandados. Precisamos estar atentos, sincronizados e afinados para que nosso objetivo seja cumprido com maior eficácia e, principalmente, segurança, em qualquer situação”, pontuou o delagado.

 

O curso tem caráter eminentemente prático, duração de dois dias e carga horária de 24 horas, abrangendo um estudo sobre a dinâmica doscumprimentos de mandados de alto risco e exposição sobre as diversas fases da operação policial. Para Adriano Bandeira, vice-diretor da Acadepol, é indispensável para o policial civil ter conhecimento dessas técnicas e praticá-las constantemente com suas equipes. “Não basta apenas ter conhecimento das técnicas. O entrosamento da equipe é fundamental para que a operação seja bem-sucedida. Por esse motivo, estamos priorizando treinar as equipes que, geralmente, atuam juntas nessas missões”, concluiu.